h1

…uma historia ai!

junho 22, 2011

Maicon Era um rapaz comum, com uma beleza comum mas com uma cabeça incomum. Cansado de ser sozinho decidiu ganhar uma mulher! Fora a promessa de virada de ano: Esse ano eu vou conseguir uma mulher!
Ele morava sozinho em seu apartamento duplex! Era um cara malandro, inteligente e conseguiu ficar rico com seu trabalho. Carrão, terno italiano, balada VIP as gatas mais sensuais regados á whiskey e mais camaradas igualmente ricos, mas esses camaradas eram ricos de berço, não como ele, que batalharam anos a fio, apenas com o dinheiro do busão e do metrô no bolso e não podia comer sequer um salgado na cantina da facul. Ele era um cara de classe média baixa, pais assalariados que andavam de ônibus e trabalhavam pelo aluguel.
Filho único, sem amigos, sem primos, nem ninguém para conversar. Cresceu carente de saciar desejos simples. Depois da formatura e de ser efetivado na empresa e de não precisar usar seu salário para comprar o VT, foi á faculdade e comeu um salgado da cantina, á partir dalí, Maicon nunca mais foi o mesmo, a prova, era seu duplex cobertura e seus carros na garagem. Seus pais? Vivem em um resort no nordeste. Enfim… naquela virada de ano, desejou conseguir uma mulher.
Porém, por causa de tantas e tantas responsabilidades, sempre acabava ficando para depois. Certa quarta-feira, decidiu simplesmente, não ir trabalhar, queria correr um pouco pela vizinhança, com suas ruas privilegiadamente limpas, arborizadas e devidamente seguras. Em seu ritmo, com seus músculos tonificados, seus tênis com molinhas, observava a vizinhança, a maioria era de senhorinhas com suas acompanhantes… madames saindo de casa com seus motoristas… CARAMBA…que vida ele tinha!
Passou na padoca para comprar uma bebida e jornal, decidiu sentar na pracinha… ele nunca tinha visto aquela pracinha ali! Enquanto bebia de sua garrafinha, percebeu um cãozinho defecando ao lado do banco onde estava, o cão tinha coleira, então estava acompanhado, alguém iria recolher aquele dejeto dali. Terminou seu artigo… e nada, aquele cocô começou á feder e o incomodou! Irritado levantou-se e procurou pelo ser humano responsável pelo cão, mas percebeu que havia muito mais cães cagando na pracinha! Viu uma pessoa parada no meio da grama e chamou: EI!
-Ei você! Esses cães são teus?
Não houve resposta! Não dava para saber se era um cara…. tava tão mal vestido… talvez fosse aqueles caras que andam com cães. Ou uma mulher, indecisa com sua opção sexual, pois parecia um cara… um mendigo!
-Ei… moça… esses cães são teus?
-Sim e não senhor!
– Eles estão sujando a praça, você vai recolher certo?
-Não senhor… não vou recolher merda nenhuma!
-Eu moro aqui, não tenho cachorro e não quero pisar em merda quando ando na rua!
-Então… saia de carro!
Virou-se, com um assovio, reuniu todos os cães e saiu. Irritado, ele começou a bravejar, dizendo que iria tomar providências! Ela, somente continuou colocando as coleiras nos cães e seguiu rua abaixo.
Como pode? Irritado, xingou aquela mulher até n ão saber mais o que usar para xingar. Voltou para casa, tomou banho, assistiu sua tv, se vestiu e decidiu ir ao trabalho. Pegou o elevador, foi até a garagem, sentou no carro e saiu… mas na metade da rua, esqueceu de pegar os ternos para levar a tinturaria. Sua empregada pediu 15 de férias e ele não estava a fim de por alguém no lugar dela. Parou o carro em frente ao condomínio, entrou no prédio e foi pegar o levador quando ouviu ao fundo: Segura para mim, por favor? Quem podia ser? Justamente a porca que não recolheu a sujeira dos cães! Ela estava com um pequeno cachorro no colo.
-Você tem que pegar o elevador de serviço, como todo funcionário que passeia com  os cães!
-E o senhor precisa sair mais do seu apartamento!
-Me recuso a subir para minha casa dividindo elevador com você!
-Isso é preconceito senhor!
O tom da voz de Maicon chamou atenção dos seguranças que, rapidamente, vieram ver o que acontecia!
-Sr Maicon… o senhor está bem?
-Não está tudo bem, essa mulher não pode subir no elevador social, ela precisa pegar o elevador de serviço para entregar esse cachorro para o dono!
-Sr Maicon, ela não pode pegar o elevador de serviço, porque o elevador de serviço é para quem trabalha aqui… ela, mora aqui!
-Isso é preconceito Senhor! Muito preconceito!
E tiveram de subir juntos no elevador.
O silêncio era embaraçoso. E ele não sabia o que dizer… mas quando ele puxou o ar para tentar se explicar ela olhou para ele:
-Senhor, não precisa falar nada… nunca nos vimos em todos os 16 anos em que moro nesse prédio, não é agora que o senhor precisa falar algo!
Desceu no 15º, Maicon subiu até o 17º… entrou em seu apartamento, pegou os ternos. Mistura de raiva e embaraço… saiu, fechou a porta e chamou o elevador. Observou a porta do apartamento vizinho e passou a pensar na quantidade de famílias e de pessoas que viviam no mesmo local onde ele morava. Ficou sentindo solidão. O elevador chegou e ele entrou… 16º…15º… o elevador não parou no 15º… 14º…13º…12º… e esqueceu de olhar o marcador… o elevador pára e ele volta a olhar o marcador: 7º… e quem entra?
-Pode deixar, senhor, eu desço de escada!
E ela, ao fechar a porta, ele a pega pelo braço:-Por favor… entre.
-O senhor não precisa dizer nada! Por favor…
-Me desculpa pelo inconveniente na entrada! Eu não conheço ninguém desse prédio, eu saio cedo e volto tarde, quase não tenho contato com nenhum dos vizinhos e olhe que moro aqui há 4 anos!
-Não se preocupe senhor!
Quando o elevador chegou ela saiu em disparada, envergonhado passou pela guarita da segurança, mas fingiu que nada havia acontecido. Entrou em seu carrão e seguiu para o trabalho. Não viu aquela moça, parecia uma adolescente… não sabia ao certo, ela não olhou para ele em nenhum momento, então ele não pode analisa-la! Seguiu para o trabalho, teve seu dia… retornou para casa e seguiu em sua velha rotina pelos 15 dias de férias de sua empregada.
Quando decidiu, ele mesmo, pegar uns dias de férias, mas não para viajar esquiar em Aspen, ou para mergulhar em Fenando de Noronha… mas para ficar em casa. A primavera havia firmado a temperatura e agora estava agradável sair para um passeio…
Ele queria deixar claro para ele mesmo que ele não estava procurando aquela garota: será que ela é a realização da promessa que ele fez? Queria descobrir!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: